A Montanha Russa do Mercado de Derivativos

Como é a sua relação com o risco?

Vamos lhe dar um exemplo para ajudar na sua resposta:

Pense que está numa fila para andar numa Montanha Russa. Nesta fila estão 3 tipos de pessoas:

– As destemidas, que estão ansiosas para chegar a vez;

– As receosas, que estão com medo, mas vão assim mesmo; e

– As medrosas, que decidem sair da fila, quando estão próximos da vez.

Respondeu mentalmente qual é a sua relação com o risco?

Não tem resposta certa, nem errada.

Mal comparando, é por aí que funciona o mercado de derivativos. Principalmente em países emergentes, como o Brasil.

Em nações que estão entre os mais ricos do mundo, o mercado parece mais um carrossel, cada um em seu cavalinho, subindo e descendo, sem muita emoção.

Toda esta volta serve para exemplificar o chamado grau de exposição ao risco.

Os mais afeitos ao risco vivem fortes emoções. Mas tendem a ganhar muito mais no curto prazo. Os menos afeitos são mais conservadores. Preferem seguir uma jornada menos turbulenta e miram o longo prazo.

Trazendo para exemplos cotidianos na bolsa de valores, verificamos que ações, câmbio ou outros derivativos são impactados por fatos ou especulações. Estes podem ser positivos ou negativos e levam a altas e quedas.

Em tempos de pandemia, as incertezas e especulações sobre o futuro fazem a moeda brasileira, por exemplo, variar de forma agressiva, com fortes altas ou baixas de um dia para o outro. Fato que não se observa em economias mais sólidas e estáveis, como a Americana.

O mercado de derivativos e suas nuances trata-se de um tema muito rico, que aguça a curiosidade dos mais diversos tipos de pessoas e profissionais, não é mesmo?

Investir, especular, comprar e vender dólares, ações, títulos… somos impactados diariamente nos noticiários. E, mesmo sem entendermos muito, sabemos como os impactos de bolsas em queda e de dólar em alta podem causar em nosso bolso.

Pensando em desvendar este mundo que, mesmo tão perto, parece tão longe para quem não é da área, criamos um curso para você que tem curiosidade sobre o mercado de derivativos e até pensa em investir, mas sente que precisa entender um pouco mais do tema.

Agora, mesmo os que já tiveram contato com o mercado de derivativos e precisam de um suporte mais teórico para o que já fazem meio que instintivamente, também poderão tirar proveito do curso.

Se este tema é relevante pra você. Se o artigo te ajudou a compreender a dinâmica do mercado de derivativos. Então, inscreva-se no curso de Mercado de Derivativos! Aprenda com o Marcelo Cambria,  professor de mercado que possui experiência prática no tema.

CONHEÇA O CURSO DE DERIVATIVOS

Gostou do artigo? Conhece alguém que poderia se interessar? Compartilhe em suas redes sociais.